Ruínas de Jerash

Jordânia

O arquiteto Du Volf esteve na Jordânia a convite de uma empresa parceira. A viagem foi de extrema importância, pois conhecer as raízes onde a civilização teve início é de grande valia, a exemplo de Jericó, que é considerada a cidade mais antiga ainda existente (10.000 anos).

Jordânia é um reino árabe no Oriente Médio, na margem leste do rio Jordão. O país faz fronteira com a Arábia Saudita, o Iraque, a Síria, Israel e Palestina. Todo o país é desértico ou semi-desértico. A parte ocidental é a mais acidentada, não só devido às cadeias montanhosas, mas também à descida abrupta até à depressão que liga o mar Vermelho ao mar Morto e ao rio Jordão. O clima é semi-seco no verão, com temperatura média em 30°C e é relativamente frio no inverno, com média em torno de 13°C. A maior parte da população da Jordânia é de origem árabe e a religião dominante é o islã sunita. Os muçulmanos constituem cerca de 92% da população do país. A Jordânia é considerado um dos países mais cosmopolitas do mundo árabe.

Vista do Mar Morto – Hotel Movenpick.

Mar Morto

Oliveira de 2.000 anos localizada na parte externa do Hotel.

Oliveira

Marchetaria é a arte ou técnica de ornamentar as superfícies planas de móveis, painéis, pisos, tetos, através da aplicação de materiais diversos, tais como: madeira, metais, madrepérola, pedras, plásticos, marfim e chifres de animais, tendo como principal suporte a madeira. Nas fotos abaixo, à direita, a marchetaria foi usada em um conjunto formado por poltronas, aparador e espelho e, à esquerda, um tampo de mesa, ambos no Hotel em que o arquiteto ficou hospedado.

Marchetaria Poltronas      Marchetaria Mesa

Piscina com parte em borda infinita e praia de areia. Mar Morto ao fundo.

Hotel Moevenpick

Na imagem abaixo, a escadaria leva à uma parte do Rio Jordão que é rasa, local onde Jesus foi batizado por João Batista. Na foto em seguida, o rio é a fronteira entre Jordânia e Israel.

Rio Jordão

Fronteira Jordânia e Israel

Igreja Ortodoxa Grega chamada St. John the Baptist Church. Paredes em pedra e cúpulas revestidas em ouro.

Igreja de pedra

Monte Nebo – local em que Deus levou Moisés para ver a Terra Prometida, pois ele não entraria na mesma. A entrada na terra foi conduzida por Josué.

Vista da Terra Prometida

Possível localização onde Moisés tocou na pedra com seu cajado e jorrou água para o povo hebreu. Esta água corre até hoje.

Pedra

Reservatório

Petra (em árabe البتراء) é um importante enclave arqueológico na Jordânia, situado na bacia entre as montanhas que formam o flanco leste de Wadi Araba. O grande vale vai do Mar Morto ao Golfo de Aqaba, perto do Monte Hor e do Deserto de Zin. Em 7 de Julho de 2007 foi considerada, numa cerimônia realizada em Lisboa, Portugal, uma das Novas sete maravilhas do mundo.

Caminho para o Tesouro

13

Ravina

O monumento, que em árabe se chama “Khazneh” (“Tesouro”), é o mais famoso de Petra. Representa um divisor de águas na arquitetura dos nabateus e inspirou as construções subsequentes da cidade, todas esculpidas de cima para baixo e sem invadir mais que alguns metros na rocha. Mas, ao contrário do que sugere o nome, não existiam riquezas no Tesouro. O apelido foi dado pelos árabes, criadores da lenda segundo a qual um faraó teria escondido ali as riquezas do Egito. Não se sabe para que servia a obra, mas supõe-se que teria sido erguida pelo rei Aretas III (que reinou entre 86 e 62 a.C.) em memória de seu pai, Obodas I (governante de 96 até 86 a.C.).

Tesouro

Passeio de camelo

Deserto de Wadi Rum.

Deserto Wadi Rum

37       Deserto Wadi Rum

Jantar na tenda em meio ao deserto, onde foi servido carneiro assado de uma forma típica – enterrado na areia. Em frente à tenda, há uma pista de dança circular que é utilizada todas as noites onde os homens dançam.

Restaurante Deserto Wadi Rum

No século 13 a.C. era chamada de Rabbath Amon. Mais tarde foi conquistada pelos assírios, seguido pelos persas, e depois os gregos. Posteriormente, o governante do Egito Helénico, rebatizou-a de Filadélfia, e foi rebatizada de Amã durante a era Ghassanian. Foi destruída por vários terremotos e desastres naturais, permanecendo uma somente pequena vila e uma pilha de ruínas.

Arco de Adriano

Vista do sítio histórico da cidade de Jerash que preserva as principais relíquias dos tempos romanos em Amã.

Ruínas de Jerash           Ruínas de Jerash

Folha de Acanto, que se encontra no capitel da coluna Coríntia.

Capitel  Folha de Acanto

Deixe um comentário

Últimos Comentários